Litoterapia, gemoterapia ou terapia com cristais. Elas fazem parte do reino mineral, o primeiro a surgir no universo. Os cristais, além da beleza natural, possuem energia e componentes químicos que em contato com o corpo interagem eletromagneticamente, fazendo com que o corpo responda aos estímulos do cristal.

De acordo com Biancardi, “descobertas do efeito piezelétrico (propriedade de determinados materiais que possuem a capacidade de gerar um tipo de eletricidade quando submetidos à pressão, força ou deformação), o cristal de quartzo passou a ser muito utilizado na tecnologia moderna, por exemplo, em relógios.”

Os cristais interagem com as ondas de som e pressão mecânicas, produzindo luz, eletricidade ou vibrações. Eles absorvem e transmitem energia por meio de sua estrutura molecular. A pedra emite energia capaz de equilibrar, neutralizar, ativar e transmutar as energias das pessoas e do ambiente.

“A sintonia com as pedras acontece em ressonância, com as ondas de nossa frequência mental, pois vibramos em curvas oscilatórias de baixa, média e alta frequência, de acordo com nossa vibração pessoal.” Lígia L. Posser

Em razão de sua composição química e atômica, cada cristal emite um tipo de radiação, assim para o tratamento terapêutico, recomenda-se o uso dos cristais sobre o corpo do interagente, preferencialmente sobre os chacras.

Seus efeitos ocorrem principalmente em razão da luz e da cor do cristal, e eles podem equilibrar e purificar ambientes, ser usados como adorno e proteção. Para cada chacra há a recomendação de um cristal específico, em razão também de suas cores, seus elementos e suas propriedades, “os cristais promovem uma purificação no sistema energético, eliminando toda negatividade ou obstrução, melhorando a qualidade da vida emocional e espiritual, trazendo a paz e a harmonia interior.” (Naif)