Daniel Goleman, psicólogo e autor do bestseller Inteligência Emocional, aborda algumas das habilidades que distinguem os profissionais excelentes dos medianos e elenca algumas competências, como: flexibilidade, empatia, colaboração e comunicação como características que devemos constantemente monitorar e aprimorar.

Essas habilidades, atualmente, conhecidas como “soft skills” estão relacionadas ao comportamento e à interação interpessoal e têm sido muito valorizadas, uma vez que o mercado reconhece que as habilidades técnicas ou “hard skills” (conhecimento técnico do assunto, idioma, informática, etc.) são mais facilmente aprendidas.

Tendo em vista a volatilidade e as incertezas do mercado, pessoas com competências emocionais que interajam de forma adequada e que criam conexões mais saudáveis no ambiente de trabalho fazem a diferença.

Assim, aprender a regular as próprias emoções pode colaborar para uma melhor qualidade de vida, visto que evitamos os efeitos danosos do estresse, bem como, podemos construir uma vida profissional mais satisfatória.

Regular ou gerenciar emoções, nada tem a ver com deixar de senti-las. O que se desenvolve é a tomada de consciência e a forma de lidar com elas no momento em que ocorrem e a partir daí perceber suas reações em nossa mente e corpo para tomar a melhor decisão e ter a atitude mais adequada diante da situação.

Uma das técnicas mais recomendadas atualmente para essa regulação emocional é a prática da meditação, por isso, convido você a conhecer o Curso Breve de Meditação, acesse o link e conheça o programa.